segunda-feira, 15 de agosto de 2016

BIOMECÂNICA NOS JOGOS OLÍMPICOS | LANÇAMENTO DO MARTELO

        O lançamento do martelo é considerado uma das provas mais difíceis do atletismo, pois a técnica de lançamento envolve série de ações complexas realizadas pelo lançador durante rotações sucessivas do corpo com o martelo em altas velocidades angulares. O martelo, de massa de 7,26 Kg no masculino e 4 Kg no feminino, é composto por uma esfera de metal chamada cabeça, presa por um cabo de aço de 1,2 m que termina em uma manopla, segurada pelas mãos do atleta para realizar o lançamento. Em geral, os atletas realizam 3 ou 4 giros antes do lançamento, dentro de uma área circular com 2,135 m de diâmetro, sendo necessário recuperar o equilíbrio dentro dessa área de lançamento após o lançamento.
        A prova faz parte do atletismo olímpico desde 1900 em Paris no masculino e desde 2000 no feminino. Os recordes mundiais são de 86,74 m no masculino e 81,08 m, obtidos pelo soviético Yuriy Sedykh em 1986 e pela polonesa Anita Wlodarczyk em 2015, respectivamente. Os recordes brasileiros pertencem a Wagner José Alberto Carvalho Domingos, com 78,63 m no masculino, e a Mariana Grasielly Marcelino com 64,90 m, ambos obtidos em 2016. Wagner Domingos estará entre os 33 atletas que conseguiram índice para a disputa Olímpica no Rio de Janeiro, ao lado do principal favorito Pawel Fajdek da Polônia, que detém 9 das 10 melhores marcas de 2016, além de outros fortes lançadores como Wojciech Nowicki da Polônia, Nick Miller do Reino Unido, Ivan Tsikhan da Bielorrússia, David Soderberg da Finlândia e Krisztián Pars da Hungria.
        A distância alcançada no lançamento depende de dois fatores: da resistência do ar, que pouco varia de lançamento para lançamento, e do vetor velocidade do centro de massa do martelo no instante da saída das mãos do lançador. Esse vetor pode ser decomposto em 3 variáveis de saída, portanto dependentes, que são: velocidade escalar, ângulo entre o vetor velocidade e a horizontal e altura. A figura mostra a trajetória do martelo durante os giros e as variáveis de saída:


 
Figura - Vista lateral da trajetória do martelo, com a representação das variáveis ângulo αo, velocidade vo e altura ho no instante de saída do martelo das mãos do lançador.
        As velocidades escalares alcançadas nos lançamentos de alto nível ultrapassam 30 m/s e deve ser a maior possível, sendo determinada pela capacidade do atleta em acelerar o martelo durante os giros. Pode-se imaginar que aumentando o número de giros é possível aumentar a velocidade de saída, contudo, atletas de alto nível que tentaram realizar 5 giros encontraram dificuldades em manter a precisão da direção do lançamento, já que a abertura da gaiola para a saída do martelo é pequena, bem como problemas em manter o equilíbrio do corpo e, com isso não apresentar aumento da velocidade da cabeça do martelo do 4o para o 5o giro.
        Já o ângulo e a altura de saída dependem da estatura do lançador e da trajetória da cabeça do martelo durante o último giro. O ângulo de saída ótimo é um pouco menor que 45o, dependendo da altura de saída. A estatura do lançador limita a capacidade de atingir esse ângulo, uma vez que o a cabeça do martelo pode tocar no solo antes da saída, como podemos ver pela figura. Assim, os lançadores de alto nível são atletas altos, fortes e com grande massa corporal, e devem ter coordenação apurada para desenvolverem os giros e realizarem grandes lançamentos.

        Realizar análises cinemáticas do lançamento do martelo a partir de vídeos é uma maneira de gerar informações importantes para planejamento do treinamento e desenvolvimento da técnica do lançador, e tem sido feita por todo o mundo, a partir de conceitos e metodologias fornecidos pela biomecânica.

Prof. Luciano Allegretti Mercadante
Laboratório de Biomecânica e Instrumentação – LABIN
Faculdade de Ciências Aplicadas – FCA – UNICAMP Limeira